Estética da Hipnose

By hipnose Leave a comment

 

 

 

 

 

Qual destas imagens você escolheria para ilustrar hipnose?

Estética da Hipnose é a imagem mental que se forma dentro de nós quando se fala de hipnose. Se a sua imagem mental é realista, parabéns, mas saiba que não é isso que acontece com a maioria.

Muitos ainda acreditam que uma pessoa hipnotizada tem que estar prostrada, sob o comando do “mágico”, de olhos fechados, num estado que poderia ser descrito quase como sonambulismo, incapaz de reagir, de falar ou de esboçar qualquer outra reação que teria se estivesse acordada.

Parte dessa distorção de imagem da hipnose é uma das consequências deste verdadeiro “show de horrores” que a mídia tanto explora.

Além de suscitar medo na população, afastando-a dos benefícios da Hipnose Clínica, a distorção de imagem da hipnose afeta também os hipnoterapeutas iniciantes, pois ela pode incapacitá-los à identificação do fenômeno legítimo.

E, de quebra, gera uma frustração nos sujeitos, pois o Transe Hipnótico é muito mais do que "cair" em sono profundo e destes esteriótipos corporais que rondam por aí, no imaginário popular.

“Hipnose é um estado alterado de consciência”. Esta definição, aparentemente simples, tem muito a nos ensinar. Na parte final ela diz: “… de consciência”. Repare que não se trata de um estado inconsciente, ao contrário. No entanto, também não se trata de um estado normal de consciência.

Como reconhecer o Estado Hipnótico, como saber que o sujeito à sua frente entrou em transe hipnótico? Há vários indícios físicos que podem nos ajudar, conforme aprendemos com Jeffrey K. Zeig, em seu trabalho chamado Constelação Hipnótica, porém, muito além destes indícios, especialmente quando eles não são tão visíveis, como frequentemente acontece com algumas pessoas, há certos elementos essenciais que evidenciam o transe, que o tornam inquestionável:

  • Autoridade
  • Permissão
  • Atenção focada
  • Suscetibilidade

Observando esses elementos essenciais, o hipnoterapeuta experiente tem certeza do transe, mesmo que – esteticamente falando – nenhum dos sinais da Constelação Hipnótica ou dos esteriótipos do imaginário popular estejam presentes na sessão.

Mas essa sensibilidade se reserva a poucos, somente aos que recebem o treinamento adequado, amam a profissão e se dedicam de corpo e alma à divina arte de ajudar.

Autoria: David Bitterman e Ronaldo Alves Franco
Direitos autorais: IBHT

Tagged under:

Leave a Reply

Your email address will not be published.

1
Olá!
Que bom que se interessou pelos nossos cursos!
Já fez algum curso de Hipnose?
Powered by