Código de Ética IBHT

Os Princípios Fundamentais da primeira versão do Código de Ética da Hipnose do Instituto Brasileiro de Hipnose e Terapias (IBHT) é uma adaptação dos princípios elaborados pela American Medical Association, em 1847. A adesão a este Código não se dá por força de Lei, mas é voluntária, pois se trata de uma proposta de um guia de auto-regulamentação da profissão. A sua força está na consciência — cada vez maior — de que os hipnoterapeutas brasileiros precisam definir os princípios éticos capazes de proteger os clientes, salvaguardar os interesses da categoria e conferir reconhecimento público aos bons profissionais.

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

I. Um Hipnoterapeuta deve se dedicar a prover um cuidado competente, com compaixão e respeito à dignidade humana e seus direitos.

II. Um Hipnoterapeuta deve se apoiar no profissionalismo, ser honesto em todas as interações profissionais e lutar (denunciar) deficiências de caráter ou competência, ou prática de fraude ou engano, aos órgãos competentes.

III. Um Hipnoterapeuta deve respeitar a Lei e reconhecer sua responsabilidade em procurar mudanças naquelas que são contrárias ao interesse do cliente.

IV. Um Hipnoterapeuta deve respeitar os direitos do cliente, de seus colegas, e de outros profissionais da saúde e deve resguardar a confiança e privacidade dentro dos limites da Lei.

V. Um Hipnoterapeuta deve continuar seus estudos, aplicação, avançar nos conhecimentos científicos, manter seu comprometimento com a educação hipnoterapêutica. Deve também tornar informações relevantes disponíveis aos seu clientes, colegas e ao público.

VI. O Hipnoterapeuta deve, na provisão do cuidado apropriado, excetuando-se emergências, ser livre para escolher a quem servir, com quem se associar, e onde irá exercer a hipnoterapia.

VII. O Hipnoterapeuta deve reconhecer a responsabilidade em participar em atividade que melhorem a comunidade e a saúde pública.

VIII. Um Hipnoterapeuta deve, quando está cuidando de um cliente, considerar a responsabilidade com o cliente primordial.

IX. Um Hipnoterapeuta deve apoiar o cuidado com a saúde para toda a população.

DIREITOS DO HIPNOTERAPEUTA

1. Exercer a profissão sem ser discriminado, preterido ou humilhado.

2. Utilizar-se de técnicas que não se lhe sejam vedadas ou proibidas por lei federal.

3. Recusar a realização de trabalhos hipnoterapêuticos que, embora sejam permitidos por lei, sejam contrários aos ditames de sua consciência.

É VEDADO AO HIPNOTERAPEUTA

1. Assumir trabalhos para os quais não esteja apto, pessoal, técnica e legalmente.

2. Usar títulos e especialidades profissionais que não possua.

3. Fazer uso de expressões, palavreado técnico, roupagens ou quaisquer artifícios que possam induzir o público a acreditar que pertencem a outra categoria profissional que não seja a de Hipnoterapeuta.

4. Efetuar procedimentos hipnoterapêuticos sem o esclarecimento e conhecimento prévio da pessoa atendida ou de seu responsável legal.

5. Desrespeitar o pudor de qualquer pessoa sob seus cuidados profissionais.

6. Aproveitar-se de situações decorrentes do atendimento hipnoterapêutico para obter vantagens física, emocional, financeira, política ou religiosa.

7. Reduzir o tempo de cada sessão a fim de aumentar o número de atendimentos.

8. Propor atividades que impliquem invasão ou desrespeito a outras áreas profissionais.

9. Fazer previsão taxativa de resultados ou se utilizar de conteúdos falsos ou sensacionalistas.